Estar: morte anunciada



Era algo inevitável, há já algum tempo que se podia adivinhar, como sussurros a meio da noite que sabemos ouvir mas que não conseguimos determinar a sua origem. E é assim que de repente nos apanham desprevenidos e nos dão a última golpada, fulminante, decisiva e rapidamente percebemos que nada há a fazer se não esperar em angustia que tudo termine. É por isso que, quando todo o mundo parece estar contra o nosso mais íntimo, decidimos escrever algo que acrescente algo, talvez algum tempo mais na memória das pessoas. Pese embora esta morte anunciada, escrevo orgulhosamente:

Eu estou
Tu estás

Ele está

Nós estamos

Vós estão

Eles estão


E que se danem as sms, o msn, a publicidade e os média desresponsabilizados e, em especial, o programa Tá a Gravar!

*xuac*

Partilhar

Publicada porPedro José  

0 comentários:

Enviar um comentário