Why Do All Good Things Come To An End?

Photobucket - Video and Image Hosting

Nelly Furtado passou de uma coqueluche da música pop a uma sexy fera de garras afiadas. A cantora luso-canadiana, que tem sido uma inquestionável e óptima embaixadora de Portugal além fronteiras, passou das canções inocentes a um estilo que se cola a uma atitude que vem sendo usada por cantoras, como Christina Aguilera ou Beyoncé (das Destiny’s Child), que valorizam uma exposição da sua sexualidade nas letras e videos. O tema sexo continua a vender...

Embora num registo mais discreto, Nelly Furtado traçou, ou traçaram por ela, este caminho para a sua carreira. E, na verdade, o resultado não tem sido mau. O novo álbum, editado este ano sob o título de “Loose”, tem feito estragos em tabelas de vendas por todo o mundo. Os primeiros singles “Promiscuous” e “Maneater”, editados em simultâneo, mas separados geograficamente, sendo que o primeiro só foi editado nos EUA e o segundo na Europa e resto do mundo, conquistaram facilmente as televisões de música, as estações de rádio e o público.

Mas estes dois primeiros temas são uma pequena amostra do que se pode encontrar no álbum e, embora muito semelhantes na temática lírica e composição musical, não representam de todo o conjunto das canções apresentadas neste trabalho. As baladas do género de “Try”, do álbum “Folklore” (2003), também têm lugar neste “Loose”, como são o caso de “All Good Things (Come To An End)” e “In God's Hands”.

Photobucket - Video and Image Hosting

É um trabalho que toca vários gostos musicais e, goste-se ou não, o importante é que Nelly Furtado decidiu-se renovar toda a sua música e mesmo visual, remetendo o seu primeiro álbum, “Whoa Nelly” (2000), lá bem para trás, para a pré-história da sua carreira. Destaque para a participação netse “Loose” de Timbaland, mentor de Justin Timberlake e Missy Elliott, considerado o génio da produção musical na entrada deste milénio.

Nelly Furtado - Loose [2006]
Nota: 8/10
1. Afraid (****)
2. Maneater (****)
3. Promiscuous (*****)
4. Glow (***)
5. Showtime (***)
6. No Hay Igual (**)
7. Te Busque (****)
8. Say It Right (*****)
9. Do It (****)
10. In God's Hands (*****)
11. Wait For You (****)
12. What I Wanted (****)
13. All Good Things (Come To An End) (*****)
14. Let My Hair Down [bonus track] (*)
15. Somebody To Love [bonus track] (**)

Partilhar

Publicada porLuy  

3 comentários:

PJ: disse... 30/01/07, 01:11  

Desde o Folklore que sou um fã modesto da Nelly, mas tenho que confessar que a sua imagem para mim saiu muito denegrida, não vejo já uma artista forte e original e com personalidade.

O álbum, sem ser mau, está longe da coerência dos anteriores (principalmente do excelente Folklore) e não me convenceu.

As únicas faixas que me impressionaram são, ironicamente, os actuais singles, nos EUA e Europa, respectivamente, Say It Right e All Good Things (Come To An End) que tiveram o condão de ressuscitar o álbum quase-morto nos tops mundiais.

De resto, o Somebody To Love é agradável e é também o toque do telemóvel da minha mãe :p

Luy disse... 30/01/07, 15:43  

Neste momento já me esqueci do "Folklore".
Acho que a nova onda da Nelly vem de encontro às aspirações musicais dos jovens, sem cair no crasso marasmo vigente por aí.

PJ: disse... 30/01/07, 16:26  

Pois eu acho que ela caiu, e o Folklore apresenta uma qualidade nas suas canções quase sempre superior às do Loose.

:)

Enviar um comentário