Sara Tavares: Apresentação e Balancé

Sara Tavares é uma artista portuguesa que desde bem cedo (aos 16 anos) conquistou o público português na primeira edição do popularíssimo concurso de caça-talentos Chuva de Estrelas (uma espécie de American Idol) corria o ano de 1994. Sara, de origem cabo-verdiana, cantou Whitney Houston, um detalhe importante para depois entender-se a transformação que ela atravessou até alcançar o seu estado artístico actual.
Nesse mesmo ano venceu o Festival da Canção português e, assim, foi representar o seu país no Eurofestival com o tema Chamar a Música conseguindo uma das melhores performances que o festival já recebeu.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Foi em 1996 que Sara editou o seu primeiro disco com o coro Shout, um álbum bastante influenciado pelos temas religiosos e pela soul. O trabalho, apesar das boas críticas, não alcançou grande sucesso comercial. Estaria a precoce carreira de Sara condenada a um fim também ele prematuro?
Tudo indicava que sim e Sara parecia perdida a cantar em filmes da Disney (O Corcunda de Notre-Dame em 1997 com o tema Longe Do Mundo).
Em 1998 alcançou o seu primeiro grande sucesso comercial… como convidada da popular banda Ala dos Namorados! Solta-se o Beijo é facilmente a canção mais tocada nesse ano em Portugal.

Foi com Mi Ma Bô, editado em 1999, que Sara ganhou a maturidade artística e, depois de uma longa busca pela sua verdadeira voz, reaprendeu a cantar e apresentou-nos uma sonoridade orgulhosamente africana. Os sucessos de Nha Cretcheu e Voá Borboleta mostram a aceitação do público para essa viragem no seu estilo.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Após vários anos de promoção e concertos, Sara Tavares regressa finalmente com Balancé, editado no final de Novembro, este álbum apresenta-nos uma artista em simbiose com a sua arte e partilhando com o ouvinte verdadeiras pérolas de inspiração e de união dos povos, com temas cantados em diversas línguas como o português, o crioulo, o francês e o inglês. Tudo bem misturado num excelente embrulho melódico de canções que ficam no ouvido. Após o sucesso do primeiro single de apresentação que dá titulo ao álbum, Sara participou numa grande campanha de um banco e onde aproveitou a exposição para lançar o seu segundo single, o viciante Bom Feeling.

Este é um projecto que foi lançado há mais de um ano e apresenta uma longevidade comercial invejável, tendo tido bastante sucesso tanto no país de origem como um pouco por toda a Europa e África. Foi também uma das candidatas ao prémio Newcomer dos Awards for World Music 2007 da BBC.

Ficam os destaques:

Balancé – Uma boa apresentação do álbum, o ritmo quente e a voz de Sara guia-nos por balanços de dança calmos e afectivos. Adoro quando te deixas levar assim/Fechas os olhos e danças só para mim/Uma dança tua;

Bom Feeling – Facilmente um dos mais brilhantes temas do álbum, pela sua simplicidade e pela forma como nos consegue arrancar um sorriso cada vez que a melodia e as palavras nos encontram. Deixa a janela do sorriso aberta/Coisa boa, boa/Coisa desperta/Canta quem a caia nos liberta/Deixa de complicação/Deixa de confusão/Liberta a alma dessa prisão/Deixa-te guiar pelo coração;

One Love – Uma excelente canção que celebra o verdadeiro Amor através de diversas línguas consolidando o sentimento de união dos povos e das pessoas, verdadeiramente inspiradora. I know you can understand me/maybe juntos together, forever happy/So you know I love you/I really love you/You know I need you/I can’t live without you/Um só povo/Um só coração/One love/Branco ku preto/Vermelho ku amarelo/Ka tem diferença não/Ama na fé/Ama bué/Amor grande no coração;

De Nua – A junção dos ritmos tribais africanos com a voz da convidada fadista Ana Moura nunca pareceu tão normal. Ambas as vozes cantam a entrega libertadora ao Amor mesmo que não correspondido. Sem chegar a dizer adeus/Invadida pela voz do teu silêncio/Gritando minh’alma se veste de nua/tua, lua.


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Um disco imperdível e a descobrir vezes sem conta, deixando-nos perder por completo pela voz de Sara Tavares e do seu ambiente acolhedor de ritmos fortes e melodias que ecoam dentro de nós numa bela tarde de verão.

*Xuac*


Nota: Artigo a ser publicado na revista online www.revistaparadoxo.com

Partilhar

Publicada porPJ:  

1 comentários:

Luy disse... 25/05/07, 16:10  

O álbum é extraordinário. Só é penas que a maioria das pessoas nunca cheguem a tomar contacto com as novas músicas da Sara Tavares, estando ainda presas pelo "Chamar a Música" que é uma canção que tem aquele colorido todo pela grande qualidade da interpretação.

Enviar um comentário