A masterpiece: She’s "Roisheen"

Photobucket

Os Moloko terminaram, mas a alma do grupo permanece em Róisín Murphy. A irlandesa de 34 anos conheceu Mark Brydon em 1994, com quem formou o duo Moloko e manteve uma relação amorosa. Após três álbuns de originais, em 2003 o grupo desfez-se e Róisín Murphy editou em 2005 o primeiro álbum a solo, intitulado Ruby Blue. Neste primeiro trabalho predominava um género de jazz-soul electrónico, produzido por Matthew Herbert, e que por ter um cunho experimentalista não conseguiu seduzir as massas. Em 2007 Róisín Murphy volta à carga com Overpowered, um álbum mais moderado e que nos pega pelo ouvido logo às primeiras auscultações.

Em Overpowered Róisín aplicou o melhor da sua criatividade e recrutou para a produção os esforços de Andy Cato dos Groove Armada, Seiji de Bugz In The Attic e o mash-up Richard X. Este álbum aproxima-se da linha do trabalho que vinha sendo feito por Róisín nos Moloko, embora a sua sonoridade seja mais fresca, descomplicada, leve e extremamente dançável.

Photobucket

A sonoridade do novo álbum não se resume a uma única atmosfera, como aconteceu no primeiro. Overpowered está repleto de misturas electrónicas que deixam a excelente voz de Róisín Murphy sobressair, num casamento perfeito entre as letras pop e o som puro da disco.

Contudo, neste novo trabalho encontramos semelhanças com outros artistas, que poderão ser propositadas, por uma questão de influência, ou serem meramente inadvertidas e casuais. Em Let Me Know, o segundo single, é inevitável fazermos a comparação com Lisa Stansfield, o tema Movie Star soa-nos a Goldfrapp e Tell Everybody parece que foi produzido por Justin Timberlake e Timbaland. Para além de que, em quase todo o álbum, se sente um pouco o estilo de Annie Lennox, sobretudo em Dear Miami.

Mas, apesar de um domínio de dança, ainda podemos encontrar na última faixa, intitulada Scarlet Ribbon, a única canção calma do álbum, que se trata de um tema dedicado por Róisín ao pai.


Photobucket

Overpowered conseguiu Reino Unido apenas um 20º lugar. Posto isto, até ao momento o público não se rendeu ao álbum. Contudo, reuniu um merecido unânime aplauso da crítica. Não tenho dúvidas de que se fosse este um disco de Madonna, ele iria ficar colado no primeiro lugar das tabelas por inúmeras semanas, pois, mesmo com este som pop, Róisín continua uma cantora de perfil alternativo, que não abdica da sua excêntrica personalidade para criar uma imagem ou personagem pomposo com o intuito de vender. Os seus vídeos parecem mostrar a artista tal como ela é, simples, sem grandes produções, mas que não prendem a atenção de qualquer um, ao mesmo tempo que fazem transparecer no rosto de Róisín a crença e o gozo em realizar o seu projecto.

Róisín Murphy – Overpowered [2007]
Nota: 9/10
1. Overpowered (****)
2. You Know Me Better (*****)
3. Checkin' on Me (***)
4. Let Me Know (****)
5. Movie Star (***)
6. Primitive (****)
7. Footprints (****)
8. Dear Miami (****)
9. Cry Baby (***)
10. Tell Everybody (****)
11. Scarlet Ribbons (****)

Partilhar

Publicada porLuy  

4 comentários:

zeh disse... 11/02/08, 09:59  

eu gostava era de conhecer o estilista dela... :P

Luy disse... 11/02/08, 11:03  

Querias perdir-lhes uns fatinhos emprestados?

zeh disse... 12/02/08, 14:54  

era :P

Pedro José disse... 13/02/08, 16:18  

Também gostei muito desse álbum :)

Enviar um comentário