De Girls Aloud a Cheryl Cole


Num mundo pop em que o descartável reina e a qualidade é muitas vezes duvidosa, estas cinco raparigas tiveram um início, embora promissor, de meter o pé atrás. Tanto que até há pouco dias eu pouco as conhecia. Não sou fã de programas caça-talentos nem os vejo. Mas estas raparigas britânicas, Sarah Harding, Cheryl Cole, Nadine Coyle, Nicola Roberts e Kimberley Walsh, foram as vencedoras do concurso Popstars: The Rivals criado para concorrer a #1 no Reino Unido na semana do Natal de 2002. O grupo foi chamado Girls Aloud [nós por cá tivemos as Nonstop]. O tema escolhido foi o Sound Of The Underground e assim é:



O tema foi um colossal sucesso e cumpriu o objectivo, foi #1 na semana mais competitiva do ano. Na maioria dos casos a história seria esta e ponto final. Mas não com as Girls Aloud. A canção foi escrita e produzida por Brian Higgins e a sua equipa Xenomania que começaram a alcançar aclamação e sucesso através das Sugababes. Brian conheceu o seu primeiro mega-êxito com Believe de Cher e mais tarde esta equipa teria a assinatura da sonoridade de artistas como Jem, Kylie Minogue, Pet Shop Boys, Sophie Ellis-Bextor, entre outros. Mas por agora, e depois do sucesso do álbum de estreia das Girls Aloud, foi-lhes dado o completo controlo do segundo projecto: What Will The Neighbours Say?


Lançado em 2004 o álbum e respectivos singles alcançaram novo sucesso conseguindo cimentar a carreira da banda no sempre difícil segundo álbum. Pela primeira vez as cinco partilham créditos em algumas das faixas do projecto. Love Machine ganhou-lhes aplausos por ser na altura diferente daquilo que reinava no mundo pop e assim é:



Foi com este trabalho que teve início a primeira digressão das raparigas com o mesmo nome do álbum. Mantendo-se sempre em território britânico, conseguiram esgotar todas as suas datas. Depois de uma breve paragem, as cinco começaram a trabalhar no terceiro projecto: Chemistry.

Novamente produzido totalmente por Brian Higgins e os Xenomania, este álbum ofereceu um novo sucesso às Girls Aloud em 2005. O single Biology foi um dos mais aclamados da carreira da banda considerado uma das melhores canções pop da década:



Após uma compilação que reuniu os seus maiores êxitos em 2006, no ano seguinte foi lançado o quarto álbum de originais intitulado Tangled Up.


Com uma componente mais pessoal o projecto provou ser um novo sucesso para as cinco raparigas e a sua equipa de produção. Tal como os restantes projectos, alcançou o disco de Platina no Reino Unido e Can't Speak French foi um dos singles [aqui ao vivo na digressão de apoio ao álbum]:



Tal como um relógio bem calibrado, foi logo no ano seguinte que surgiu o quinto e último álbum de originais das Girls Aloud. O seu nome: Out Of Control.


Alcançando a dupla-platina no Reino-Unido, este é um dos seus álbuns mais consistentes e a equipa de produção volta a dar cartadas na exploração de novos sons para a banda. Pela primeira vez desde que foram lançadas em 2002 um dos seus singles falhou o Top10 britânico conseguindo apenas o #11 [curiosamente elas também têm imensos exemplos de canções que falharam o lugar cimeiro... por um!]. Curiosamente também, essa é precisamente a faixa que mais gosto delas, chama-se Untouchable, é a mais longa das suas canções [quase sete minutos] e assim é ao vivo:



E é assim que chegamos a Cheryl Cole. Ignorando intrigas e histórias alheias à música, é em 2009 que é lançado o seu primeiro álbum a solo, 3 Words:


Desta vez trabalhando em parceria na maioria do projecto com will.i.am dos Black Eyed Peas, o primeiro single de apresentação, Fight For This Love, tornou-se no que mais rapidamente vendeu por terras britânicas nesse ano. A seguir foi lançado o tema título com este excelente vídeo:



Impossível não deixar referência ao tema Parachute. No final Cheryl vence com um álbum sólido e com canções bem trabalhadas e variadas, sendo a ela a quem cabe dar seguimento à música que as Girls Aloud deixaram quando se tornaram numa das bandas mais prolíferas da pop britânica da década passada.

Partilhar

Publicada porPedro José  

4 comentários:

Hydrargirum disse... 25/03/10, 00:37  

Acho-a linda...a Cheryl...fiquei ciente dela qd morei no UK e a via no X-Factor onde era juri...
O grupo de onde ela vem passa-me um bocado ao lado, mas confesso que gosto do single "The promise".

Luy disse... 25/03/10, 11:42  

Não conheço nada delas. (pelo menos em conciência, não conheço)

Pedro José disse... 25/03/10, 13:15  

Também não conhecia, na procura de algo novo para ouvir aconselharam-me esta banda. Dentro do pop é difícil ser melhor =)

Ricardo Reis disse... 01/04/10, 18:23  

adoro, adoro, adoro-as!

Enviar um comentário