Para Todo o Bem...


Para Todo o Mal é o título do último álbum dos Mesa e o sucessor de Vitamina, que foi o segundo disco da banda, editado em 2005, e que na altura foi alvo da crítica musical do nosso blog. O novo trabalho desta banda do Porto, composta por João Pedro Coimbra e Mónica Ferraz, continua num registo pop, embora haja uma franca diferença entre os discos anteriores, marcada por uma tentativa de distanciamento da música electrónica e uma aproximação a uma sonoridade mais orgânica, sobretudo através da utilização massiva da guitarra eléctrica, do piano e da percussão.

Contudo, a música electrónica não desapareceu por completo neste álbum, não só continua presente como, inclusivamente, domina nos temas Munição, Fiordes e Paladar, e noutras é combinada com os demais instrumentos. O tema Boca do Mundo, lançado como 1º single, é sem sombra de dúvidas o melhor de todos, mas do qual não é possível deixar de fazer comparações com Vício de Ti, o tema mais forte do álbum Vítima. A construção de ambos prima por uma simplicidade ao nível da melodia, com uma letra extremamente cuidada ao pormenor, que conferem um toque melancólico ao conjunto.

As últimas duas músicas do álbum, Paladar e Para Todo o Mal, entram numa nova área de exploração musical, sendo as únicas que fogem ao cunho pop e entram num campo experimentalista. Pelo meio, o álbum também apresenta um tema instrumental, intitulado Biombo Acústico, de difícil digestão. Mas esperemos que não seja por aí que sigam o caminho para o próximo álbum, porque não me parece que tenham resultado muito bem, sobretudo ao nível da composição musical, e à sua conjugação com a letra, que até não parece mal de todo.


O grupo lançou recentemente o 2º single deste álbum Para Todo o Mal, intitulado Quando as Palavras, que é um pouco mais ritmado que Boca do Mundo. Ao mesmo tempo os Mesa, que estão envolvidos em vários projectos, lançaram recentemente outro tema com Rui Reininho, depois do vocalista dos GNR ter participado com o grupo no tema Luz Vaga, desta vez juntaram-se para gravar BI.polar, integrado na campanha "Levanta-te contra a discriminação das doenças mentais" do movimento UPA - Unidos para Ajudar. Os Mesa juntaram-se ainda a um projecto discográfico de homenagem a Carlos Paião, em que interpretam o Sr. Extraterrestre, escrito pelo cantor/compositor e originalmente interpretado por Amália Rodrigues.

Regressando ao álbum Para Todo o Mal, embora não me pareça excepcional, com este novo trabalho os Mesa acrescentam mais uma peça com saldo positivo à sua carreira e nós ficamos à espera que juntem mais, porque o potencial da banda continua lá e os Mesa seguem no caminho que todos os grupos que pretendem fazer música pop portuguesa de qualidade deviam seguir.

Mesa - Para Todo o Mal [2008]
(Nota: 7/10)


1. Porta de Entrada (Intro)
2. Estrela Carente (****)
3. Tribunal da Relação (****)
4. Quando as Palavras (****)
5. Munição (***)
6. Biombo Acústico (instrumental) (*)
7. Boca do Mundo (*****)
8. Fiordes (**)
9. Não vai ser Bom (***)
10. Paladar (***)
11. Para todo o Mal (**)

Partilhar

Publicada porLuy  

2 comentários:

Pedro José disse... 05/11/08, 15:22  

Efectivamente possuem uma produção muito cuidada e meticulosa. Gosto, para variar...

zeh disse... 05/11/08, 16:39  

O que eu acho muito bom é a capa deste álbum. em relação às músicas, estão mais experimentalistas... o anterior era bastante mais fácil de ouvir.

Enviar um comentário